O Palhaço na campanha pelo Oscar.

Foto: Daniela Tolstoi

 O Palhaço segue firme na campanha rumo ao Oscar, nos Estados Unidos. Selton Mello e a produtora Vania Catani participaram da primeira sessão do filme no Melnitz Hall na UCLA, dia 28, e domingo na sessão no Sundance Cinema, em Los Angeles. Com sala lotada, a exibição no Sundance Cinema, seguida de debate, foi um sucesso, com a presença da imprensa e membros da academia do Oscar, além de amigos brasileiros. O evento foi seguido de um jantar na churrascaria Fogo de Chão, em Beverly Hills para 60 pessoas.

O Palhaço, segundo longa-metragem dirigido por Selton Mello, coloca na tela o universo circense com todo seu encanto e magia por meio de estradas de terra do Brasil. Aclamado pelo público e crítica, o filme foi visto por cerca de 1,5 milhão de espectadores. O Palhaço foi o filme nacional escolhido para concorrer a uma vaga na categoria de melhor filme estrangeiro no Oscar ® 2013. A próxima cerimônia de entrega do Oscar ® acontece em 24 de fevereiro de 2013 e será a 85ª premiação anual promovida pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences. A lista dos cinco indicados para disputar a estatueta de melhor filme estrangeiro só será conhecida em 10 de janeiro de 2013.

Produzido por Vânia Catani (Bananeira Filmes), o filme traz no elenco Selton Mello como o palhaço Pangaré, a principal atração do Circo Esperança, ao lado do pai, o palhaço Puro Sangue, interpretado por Paulo José. No elenco, destacam-se Larissa Manoela, Teuda Bara, Álamo Facó, Cadu Fávero, Giselle Motta, Fabiana Karla, ao lado de veteranos como Jorge Loredo, Jackson Antunes, e Moacyr Franco, que, no entanto, estreia nos cinemas em O Palhaço.

O Palhaço venceu mais de 50 prêmios, sendo 12 no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, incluindo melhor longa-metragem de ficção, melhor ator (Selton Mello) e melhor diretor; venceu melhor filme e blockbuster Brasil no Prêmio ACIE de Cinema – Associação dos correspondentes internacionais; levou quatro estatuetas no Festival de Paulínia 2011, incluindo melhor direção e melhor roteiro (Selton Mello e Marcelo Vindicatto), e  o prêmio de Melhor Diretor de 2012 dado pela APCA, de São Paulo.

O filme também foi premiado no Festival de Cine del Uruguay, no Troféu CineMúsica, no Festival de Cinema de Araxá, no BRAFFTV – Brazilian Film & Tv Festival of Toronto, no Prêmio ABC (Associação Brasileira de Cinematografia), no Prêmio Contigo de Cinema Nacional, no Prêmio Revista QUEM Acontece, no Prêmio Melhores do Ano SESC SP 2012, dentro outros.

O Palhaço foi exibido em mais de 40 festivais nacionais, incluindo o Festival do Rio, o Festival de Gramado e a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo; e 20 festivais internacionais, dentre eles o Festival de Chicago, o Brazilian Film & Tv Festival of Toronto, o MoMA, e o 30º Festival de Cine del Uruguay.

O longa de Selton Mello foi muito bem recebido pela crítica. A Veja São Paulo disse ser “um dos mais belos filmes do ano”. O Estado de S. Paulo o definiu como um “filme de trama simples, visual rebuscado e interpretações inspiradas” e a Folha de S. Paulo elogiou: “uma delicadeza e uma segurança que revelam um diretor maduro”. O jornal O Dia o definiu como uma “jornada de autoconhecimento, cheia de humor e lirismo, que faz o espectador quase levitar da poltrona. Bravo!”. A Veja declarou: “Lírico e divertido, O Palhaço, de Selton Mello, evoca um país”. E para a Revista Preview, o filme “vai dar muito orgulho ao cinema nacional”.

Desde Central do Brasil (1998), um filme não conseguia ser aclamado pela crítica e público, trazendo, em um misto de drama, comédia e poesia, um tema genuinamente brasileiro e com questões universais, que representam a emoção, o lado afetivo da vida de seus personagens. Como define o ator e diretor Selton Mello: “Sonhava em fazer um filme claro, legível, sem afetações estéticas. Um filme que chegasse ao público pela via mais calorosa, o caminho do coração.”

O Palhaço foi filmado ao longo de seis semanas em Paulínia (São Paulo) e Santa Rita de Ibitipoca, Bom Jesus do Vermelho, Conceição do Ibitipoca, Lima Duarte (Minas Gerais). Adrian Teijido assina a direção de fotografia, Cláudio Amaral Peixoto, a direção de arte, Kika Lopes, os figurinos. A trilha sonora é de Plínio Profeta. No Brasil, O Palhaço tem distribuição da Imagem Filmes.